Religião
Foto:
José Pedro da Silva

NOME

1917-04-05

DATA DE NASCIMENTO

2000-05-23

DATA DE FALECIMENTO


pt.wikipedia.org/wiki/José_Pedro_da_Silva

SITE



Nasceu na freguesia de São Tomé, nos arredores da antiga Vila do Topo, na ilha de S. Jorge – Açores, a 5 de abril de 1917. Até 1941, fez estudos primários e, consequentemente, os efetuados no seminário de Angra do Heroísmo, seguindo depois para Roma, a fim de se formar em teologia na Universidade Gregoriana. A sua ordenação sacerdotal teve lugar a 24 de abril de 1943. Concluídos os estudos universitários em Roma, regressou à sua diocese e foi nomeado professor de teologia do seminário de Angra. Em 1946, foi professor de religião e moral no liceu de Angra do Heroísmo. Em 1953, foi diretor do jornal A União e vigário-geral da diocese, cargo para o qual foi designado, a 7 de outubro de 1955. Em 1956, foi nomeado cónego da Sé de Angra. Este ilustre jorgense foi sócio efetivo do Instituto Histórico da Ilha Terceira e um dos fundadores do Instituto Açoriano de Cultura.

D. José Pedro da Silva, cujas qualidades e virtudes são sobejamente conhecidas, viu-se reconhecido pela Santa Sé que, a 30 de julho de 1956, o elegeu bispo titular de Tiava e auxiliar do patriarcado de Lisboa, sucedendo assim a D. Manuel Salgueiro nos cargos de presidente da Junta Central e de assistente geral da Ação Católica Portuguesa. A sagração episcopal deste prelado realizou-se a 18 de novembro do mesmo ano na Sé de Angra. O antístite sagrante foi o prelado diocesano, Senhor D. Manuel Afonso de Carvalho.

A elevação deste açoriano ao episcopado foi recebida com singular simpatia por todas as classes e motivo de grande satisfação para o clero que admirava as qualidades e os dotes de espírito do emérito açoriano.

No exercício de elevados cargos, participou em 1957, em Roma, no II Congresso Mundial do Apostolado dos Leigos. Em 1958, deu corpo às comemorações jubilares da Ação Católica Portuguesa, nas quais tomou parte muito ativa. A 27 de dezembro de 1957, por decreto da Sagrada Congregação Consistorial, foi nomeado membro do Supremo Conselho das Obras de Emigração Mundial de todo o orbe católico. Em 1961, no pontificado de João XXIII anunciou-se a nomeação deste ilustre açoriano como bispo coadjutor da Sé Patriarcal de Goa, sedis datus, o que, no entanto , não veio a acontecer, devido a motivos circunstanciais que afetaram o território da província portuguesa de Goa.

Paulo VI nomeou D. José Pedro da Silva a 13 de fevereiro de 1965, bispo residencial da antiquíssima diocese de Viseu, que conta entre os seus mais lídimos prelados D. João Homem, tio do Infante D. Henrique.

Este prelado deu entrada na sua nova diocese a 6 de junho desse mesmo ano e governou-a até à data da sua resignação, que teve lugar a 14 de setembro de 1988.

Para além da criação de várias paróquias, a ele se deve a instalação de um emissor da Rádio Renascença em Viseu e a criação, naquela cidade, de um pólo da Universidade Católica Portuguesa.

Faleceu, em Viseu, onde vivia como bispo resignatário da diocese, no dia 23 de maio de 2000. A Universidade Católica Portuguesa dedica-lhe no seu Centro Regional das Beiras uma biblioteca (a Biblioteca D. José Pedro da Silva), em homenagem ao seu labor em prol da expansão daquela universidade em Viseu.


BIOGRAFIA

Portugal

PAÍS

Viseu

CIDADE


Notas Históricas Sobre Bispos Açorianos, de Valdemar Mota

FONTE